quarta-feira, 12 de julho de 2017

Alunos do Centec criam novos alimentos com pequi




Além dos sequilhos e licores feitos com pequi, os estudantes desenvolveram alimentos a partir do coco babaçu e do buriti ( André Costa )
00:00 · 12.07.2017 por André Costa - Colaborador

Crato. Um dos frutos mais tradicionais do Cerrado, o pequi está presente em abundância na região do Cariri, na safra que vai entre os meses de dezembro a abril. Na culinária, o prato mais famoso certamente é o baião de dois com pequi. No entanto um grupo de estudantes do curso técnico em alimentos da Faculdade de Tecnologia Centec - Cariri desenvolveu uma nova iguaria utilizando o fruto do pequizeiro. O biscoito de goma, conhecido como sequilho, ganhou novo sabor e nome. "Criamos o pequilho", pontua a estudante Débora Aquino, 30.

De acordo com o professor do curso, Erlanio Oliveira, além de possibilitar um sabor diferente ao sequilho, os alunos trabalham o reaproveitamento dos resíduos que seriam descartados. "Desenvolvemos uma formulação com a amêndoa de algumas plantas nativas. Além do pequi, utilizamos a macaúba, babaçu e buriti". Ainda segundo Oliveira, o resultado final foi "tão aceito que já estamos pensando em patentear para comercializar".

A docente Regina Célia Gomes explicou que, por ser um produto abundante no Cariri, o curso vislumbrou uma forma de "potencializar a utilização do fruto e gerar mais renda para aqueles que trabalham com o pequi".

Além do sequilho, o projeto desenvolve outros alimentos com o fruto. "Fizemos também o licor de pequi, tudo pensado para aproveitar esse fruto bem típico da nossa região", disse.

Conforme explica a aluna Erica Aureliano, o forte sabor do fruto e o perfume característico não são repassados para o sequilho ou licor, por exemplo, devido ao processo de produção. "Extraímos o óleo e fica o resíduo, que depois é reaproveitado e enriquecido", pontua. "Além de gostosos, os produtos são saudáveis", acrescenta.

Apesar de considerarem o processo de fabricação simples e barato, as alunas reconhecem que chegar até a fórmula final foi um desafio. "O pequi é utilizado geralmente em comidas triviais e, na maioria salgadas, como o baião. Encontrar o ponto certo para fazer o sequilho, um alimento doce, foi um desafio", diz Gabriela Batista, também aluna do curso técnico.

Os produtos estão sendo comercializados no estande do Centec na 66ª Exposição Centro-Nordestina de Animais e Produtos Derivados (ExpoCrato 2017), que segue até o domingo (16). O visitante pode encontrar, além do pequilho e do licor, feitos com o pequi, outras guloseimas, como doces e biscoitos, feitos de coco babaçu e buriti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Acidente de moto deixa duas vítimas fatais na cidade de PIO IX na noite desta sexta feira 21

Maycon Brenno em 21 de julho de 2017 Na noite desta Sexta-feira (21), um grave acidente nas proximidades do Posto Fortaleza 3, em Pio IX, ...